O crescimento do agronegócio e as perspectivas para o setor

O agronegócio brasileiro é produtor e exportador de muitos produtos como suco de laranja, soja, açúcar, milho, café, celulose, carne bovina e de frango, tornou-se uma das potências mundiais do segmento e se consolidou assim nos últimos 25 anos. Logo abordaremos sobre o crescimento do setor no Brasil, o impacto gerado na economia e as perspectivas para o futuro.

O setor do agro apresentou expansão em diferentes regiões, que acarretou na necessidade de uma maior diversidade da atuação agrícola, na ampliação da urbanização nacional e a exigência de maior fabricação de matérias-primas.

Sendo assim, com seu progresso, as pesquisas aumentaram – Embrapa órgão responsável – já que em outra época careciam de estudos sobre solos, gerando um resultado de baixo ganho em produção e hectare; que em uma época de industrialização e aumento da sociedade não era mais suficiente para que as demandas internas fossem satisfeitas.

Nesse mesmo período, os princípios que motivaram a produção rural do país e o efeito da inclusão de aperfeiçoamento tecnológico estabilizou o agronegócio brasileiro como um dos principais pilares econômicos. Segundo cálculos do Cepea, em 2020 o segmento obteve desempenho de 26,6% no Produto Interno Bruto brasileiro, contra 20,5% em 2019. Em 1970, a atuação do agro no PIB era de 7,5%.

O avanço nesse ramo é incontestável quando se confronta o crescimento da produção quanto à área conquistada pelo agribusiness. Se conferirmos o lucro médio (quilos por hectare) das lavouras de arroz, milho, feijão, trigo, soja entre a década de 70 e dos anos 2000.

Destaquemos também para os aumentos de lucratividade de 346% para o trigo, de 317% para o arroz e de 270% para o milho, de acordo com a Embrapa. O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro, calculado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, em associação com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), teve alta de 4,33% no segundo trimestre e arrecadou em alta 9,81% no primeiro semestre de 2021. O destaque no trimestre e no acumulado semestral foi mantido entre os setores do agronegócio, primário e insumos.

No caso do segmento primário, o estímulo veio sobretudo da agricultura; no caso dos insumos e da pecuária. Outros que tiveram aumento no semestre foi a agroindústria e os agrosserviços, porém com taxas leves. Pelo ponto de vista do agronegócio, os cenários se diferenciaram. Na área agrícola, o PIB teve alta de 14,46% em seus seis primeiros meses de 2021, após evoluir 5,96% no segundo trimestre.

O excelente efeito da agricultura, acompanhado de uma alta de 24,33% no semestre, é considerado mesmo com a vantagem dos gastos agrícolas e com a ruptura de produção em diversas culturas em retorno às condições climáticas inadequadas, motivado pelo elevado grau real dos custos agrícolas.

Só para encerrar, o estudo aponta ainda que o Brasil é o terceiro maior fornecedor de alimentos mundial, ficam no topo a China e Estado Unidos. Além disso, Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA) informa que só em 2020, o Brasil exportou alimento para mais de 180 países. Tendo em vista que, o agronegócio brasileiro cresceu e tornou-se um expressivo provisor de alimentos e fibras mundial nos últimos 50 anos, esse processo encaminha-se uma intensificação no futuro, em conformidade com a ampliação da demanda global. Observação importante: calcula-se que a população mundial alcançará 8.500 bilhões de pessoas em 2030.

Gostou do conteúdo? Então inscreva-se na SynchroNews e receberá notícias relevantes sobre a legislação fiscal e tributária, além conteúdos exclusivos elaborados pelos nossos especialistas.

 

Fonte:

Sobre o autor

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga nosso blog

Digite seu email para acompanhar nosso blog e receber notificação de novos conteúdos.