O que esperar da Reforma Tributária para 2022

Muito se tem falado sobre a nova Reforma Tributária e a mudança nas leis de cobrança dos impostos pagos pelos brasileiros. No Congresso Nacional, quatro projetos disputam a atenção dos parlamentares: a reforma no Imposto de Renda (PL 2.337/2021); a PEC 45/2019, que tramita na Câmara dos Deputados; a PEC 110/2019, do Senado Federal; e o PL 3887/2020, do Governo Federal. Mas o que isso representa?

O sistema tributário brasileiro é um dos mais burocráticos e complexos do mundo. Por conta disso, a primeira parte desta Reforma tem o objetivo de  simplificar os tributos sem que haja um aumento na carga. As duas Propostas de Emenda à Constituição estão focadas em substituir todas as taxas aplicadas ao consumo por apenas um, chamado de Imposto sobre Bens e Serviços (IBS).

Ao adquirir um produto e/ou serviço, são cobrados alguns tributos pela União: PIS e Cofins, que incidem sobre receitas, e IPI (Imposto sobre produtos Industrializados) E, pelos Estados, o chamado ICMS, que pode variar muito de um território para o outro. Isso gera incertezas e oscilações nos valores arrecadados sobre a compra de itens.

Com a nova proposta, o IBS surgiria como uma ferramenta para um equilíbrio de contas, incidindo sobre todos os bens de consumo. Ainda existiriam duas taxações distintas, uma de âmbito federal e outra que seria aplicada aos Estados e Municípios, mas isso iria padronizar os regimes de cobrança nas duas esferas políticas.

 

O Brasil precisa de uma reforma tributária?

Quando analisamos o sistema nacional de impostos, notamos o quão importante é este novo projeto. Segundo levantamento do Banco Mundial, o tempo gasto por empresas com obrigações tributárias no Brasil varia entre 1.483 e 1.501 horas por ano. O intervalo de tempo, que considera o preparo, a declaração e o pagamento, é maior do que em qualquer outro país do mundo.

Contudo, ficam evidentes os benefícios para os contribuintes e para o Brasil. É notável o número elevado de investidores que gostariam de atuar em território nacional, mas que desistem pois se torna quase impossível entender o sistema tributário local.

De acordo com o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, “o investidor consegue calcular o risco de seu investimento, mas não os riscos da insegurança jurídica e dos contenciosos.”

Por isso, talvez esta seja uma oportunidade de crescimento a ser pautada pelo Governo para o próximo ano. Ao analisarmos o cenário mundial, é visível a diferença em relação ao que as empresas enfrentam por aqui. Na Europa, por exemplo, os contribuintes pagam somente um imposto sobre produtos industrializados: o IVA (Imposto sobre Valor Agregado).

 

Quando esta reforma será colocada em prática?

Ainda não se sabe ao certo quando a proposta avançará para as próximas etapas. De acordo com a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, o primeiro assunto que será pautado no início de 2022 será a PEC 110/2019, uma das mais profundas, no que diz respeito à reforma tributária nacional. 

A expectativa é que a matéria esteja pronta para a deliberação dos 81 senadores ainda em fevereiro. Com isso, a perspectiva do cenário tende a mudar – mesmo que a longo prazo -, visto que algumas unidades de tributação podem ser unificadas e substituídas tanto por parte da União, quanto pelos Estados, sendo as mesmas regras em todo o País.

Algumas alterações ainda podem acontecer, como foi o caso de uma tentativa do Governo em dividir a reforma em 3 etapas, sendo que uma delas sugere reunir o PIS/Pasep e o Cofins em uma única contribuição, com alíquota única de 12%, seguindo os moldes do IVA.

 

A unificação está cada vez mais próxima

O ano de 2022 será um marco para o sistema tributário nacional. A expectativa para a criação e a aplicação do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS) está muito alta, juntamente com a proposta de uma simplificação e o melhor entendimento em relação aos impostos cobrados.

Agora só nos resta aguardar os avanços da proposta e os impactos no dia a dia do mercado nacional.

Sobre o autor

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga nosso blog

Digite seu email para acompanhar nosso blog e receber notificação de novos conteúdos.