O volume de obrigações entregues ao SPED divulgado pela Receita Federal, mostra que automatizar essas entregas pode reduzir erros e alertas na validação de obrigações tributárias.

A Receita Federal divulgou em seu Plano Anual de Fiscalização de 2017 os dados referentes a 2016 que, no Brasil, foram recepcionadas mais de 24 milhões de obrigações fiscais via SPED. Desse montante, 92% dos arquivos têm origem em apenas duas escriturações, a EFD_CONTRIBUIÇÕES e a EFD-ICMS/IPI, que devem ser motivo de atenção especial pelas empresas.

As informações para o preenchimento das duas obrigações tributárias mais importantes de sua empresa têm origem em várias operações diárias, depende de dados de diversos setores de sua companhia. Aqui temos que ter atenção, esse processo é um grande desafio tributário já que a maioria das empresas não tem processos de negócios preparados para suportar o nível de detalhamento exigido pelo Fisco, ou são falhos no sentido de garantir o input correto da informação necessária. Acrescente a isso, falhas de cadastro, parametrizações incorretas e o não armazenamento de informações exigidas pelo Fisco e você terá um cenário perfeito para entrega de informações incorretas junto a Receita Federal.

Apesar de parecer complexo, a missão para acabar com esse cenário é uma atividade muito mais sistêmica do que intelectual. O processo ideal é identificar todos os erros, alertas e corrigir esses problemas na base, processo que, feito por mãos humanas, leva tempo e dinheiro. O segredo aqui é a mudança de pensamento e a quebra de paradigma, assim como na indústria, onde processos manuais simples são automatizados e os colaboradores passam a desempenhar atividades de maior valor agregado, muitas empresas já substituíram tarefas manuais e repetitivas com uso de tecnologia, onde softwares colaboram para o aumento da produtividade da equipe.

Na prática, quando você automatiza a entrega de suas obrigações tributárias, todos os seus processamentos são realizados automaticamente e seus resultados concentrados e centralizados em uma única base de informações, mesmo que ocorram em diversos PVAs. Com esse processo, a empresa tem à sua disposição dados da ocorrência de erros e alertas nos arquivos o que gera um “mapa de erros” detalhado. Com esse conhecimento o gestor tem em mãos um relatório que revela a distribuição dos erros dentro dos registros e campos das escriturações, que permite identificar pontos de correção em seu processo de captação de informações para a conclusão das entregas.

Automatizar suas entregas gera alto valor agregado para os negócios, contribui diretamente na redução do custo de atendimento da obrigação acessória e tempo de processamento. Acrescenta visibilidade e transparência ao processo mitigando o risco fiscal à medida que oferece aos gestores através de painéis gerenciais, acompanhar em tempo real o processo de entrega dessas obrigações. Além de apontar e identificar fontes originárias dos erros e alertas dos arquivos para que se possa estabelecer: metas, planos de ação, corretivos ou preventivos e acompanhar o resultado da implementação das ações já na primeira janela de entrega. Desta forma você estabelece na sua empresa um ciclo contínuo de acompanhamento e melhoria do processo de entrega de obrigações acessórias e escrituração fiscal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s