Cumprir as inúmeras obrigações fiscais e tributárias impostas pelo Governo exige controle e planejamento das empresas, uma vez que o descumprimento delas implica em pesadas multas e sanções, tanto penais como administrativas. O Código Tributário Nacional estabelece normas que regem as obrigações de natureza tributária, dividindo em Obrigação Tributária Principal, aquelas relacionadas ao pagamento de um tributo, imposto ou taxa e as Obrigações Tributárias Acessórias, relacionadas aos trâmites burocráticos e que servem de base o cumprimento das Obrigações Principais, como a emissão de notas fiscais e de guias de recolhimento, elaboração das Demonstrações Contábeis, Folha de pagamento, escrituração e uma série de outras obrigações que regem o correto funcionamento de um negócio.

Mensalmente empresas enviam uma série de informações de ordem econômica, social e financeira ao Governo que passa a ter controle sobre qualquer transação e movimentação realizada, possibilitando o cruzamento de informações e a detecção de possíveis irregularidades ou sonegação. O cumprimento de todas as obrigações acessórias deve ser a preocupação essencial de um empresário, já que a empresa corre risco de ter suas atividades paralisadas caso algum problema seja detectado.

Otimizar essa rotina possibilita utilizar melhor o tempo para conferência da geração das obrigações, o que evita problemas e ainda reduz gastos excedentes com o pagamento de impostos. Ou seja, quando uma empresa otimiza os seus processos para dedicar o seu tempo para acompanhar o negócio e, assim, realizar uma boa gestão tributária, existirá apenas uma pequena chance de ser autuada por erros estratégicos, ou melhor, por erros de enquadramento no regime tributário inapropriado ao seu faturamento.

Atender corretamente as obrigações acessórias deve ser considerada uma necessidade empresarial. Quando a empresa realiza o controle de suas finanças as vantagens superam eventuais problemas decorrentes, pois o acesso a linhas de crédito acaba sendo facilitado devido a conformidade das obrigações.

Pagar menos impostos

Atendendo as obrigações acessórias em dia, a empresa consegue visualizar qual o melhor enquadramento tributário, ou seja, se ela deve se enquadrar como Lucro Real, Lucro Presumido ou Simples Nacional. Apesar da escolha ser aparentemente simples, ela exige uma análise detalhada, já que em alguns casos algumas empresas podem obter isenções, restritos a empresas do Lucro Real, ou se enquadrarem no Simples Nacional, com regras específicas.

Que tal começar a otimizar os seus processos e ter mais tempo para se dedicar ao que realmente interessa, entre em contato com a Synchro e veja como podemos te ajudar.

solicite-um-contato

2 comentários

    1. Olá João,

      Que bom que gostou! Siga-nos nas redes sociais e receba em primeira mão artigos, e-books e informações atualizadas sobre o universo tributário fiscal.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s