Os-reflexos-do-aumento-da-carga-tributária-em-2015

O aumento dos impostos iniciou o ano dando boas-vindas aos brasileiros. Seja por redução da atividade econômica — e diminuição da arrecadação governamental —, seja devido à inflação, essa prática é a prova da ausência de uma política econômica eficiente e da confusão que são os tributos no país. A medida também mostra que, ao invés de cortar gastos e buscar maior transparência na gestão, o governo prefere partir para o lado mais fácil.

O que muda?

Em um primeiro momento, a mudança é social, ou seja, no humor dos empresários, na apreensão dos funcionários, nas discussões entre técnicos e especialistas. Por isso, neste início de 2015, não foi incomum se falar em recessão, medo do mercado ou economia estagnada. São questões muito ligadas ao cotidiano e afetam todas as pessoas. Assunto em comum, discussão em comum.

Depois, a mudança é no consumo. Mesmo com dinheiro no bolso, as pessoas deixam de comprar por temor de faltar recurso lá na frente ou no sentido de aguardar o desenrolar da situação. Assim, o varejo é o primeiro setor a se mobilizar. Sobra promoção, liquidação, anúncio de “último mês com imposto reduzido” ou “produto 2015, preço 2014”.

Os que trabalham com bens duráveis e industrializados, geralmente, são os primeiros a sentir. Montadoras e fabricantes de aparelhos domésticos precisam se desdobrar para garantir o mês.

O próximo passo é, infelizmente, a demissão. O plano de demissão voluntária (PDV) e cortes de terceirizados se destacam nos noticiários. Nesse momento, os sindicatos ou representantes de classe se mobilizam e pressionam o governo por mudanças, estas que deveriam ser feitas há muito tempo.

O que o governo diz?

Para o governo, o aumento da carga tributária em 2015 é natural. Muitos políticos, para deixar o discurso mais próximo da população, dizem que é um “mal necessário” ou tentam comparar com o que acontece em uma família brasileira: quando o dinheiro da casa está curto, os pais precisam agir! Segundo o governo, as medidas são tomadas e o “corte ocorre na carne” ou todo o “progresso” conquistado nos últimos anos irá por água abaixo.

Outro ponto que ocorrerá com o aumento da carga tributária em 2015, mas que o governo dificilmente irá dizer, é a redução do investimento. Geralmente, ele é o primeiro a ser cortado, já que a preocupação do empresário passa a ser outra. Até mesmo os investimentos considerados estratégicos, fundamentais, correm o risco de cessarem.

O que fazer?

Muitos governos já fizeram o mesmo, a população sofre e, depois de algum tempo, as discussões caem em desuso. No entanto, é possível as empresas se preparam para a tormenta e assumirem uma postura pró-ativa, e não o contrário.

Reduzir os custos da empresa é o primeiro passo. Diminuição em material de escritório, em estoque e nos desperdícios. A máquina precisará aperfeiçoar os recursos, fazer mais com menos. Paralelamente a esses cortes, ela precisa aumentar a receita, fazer promoções, investir em divulgação, aumentar os canais de contato com o consumidor ou cliente.  Nesse momento, a tecnologia é aliada do empresário. Investir em mídias sociais, sites e aplicativos para que o nome da empresa tenha destaque.

Infelizmente, quando o aumento da taxa de impostos é alto, o empresário precisa ver isso como uma crise, e agir como se fosse tal.

Por último, o gestor deve pensar em aumentar o preço. Ele não pode pensar em “se vingar” do consumidor, já que o governo fez uma medida dessas. Ele necessita aderir a práticas que aumentem a produtividade da empresa. Porém, feito tudo isso e nada funcionar, a elevação dos preços acaba se tornando uma saída.

E então, ainda tem dúvidas? Já sente os reflexos do aumento da carga tributária? Deixe um comentário!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s